6 dicas matadoras para escrever e-mail marketing

Já parou para pensar que uma palavrinha a mais ou a menos no assunto do seu e-mail marketing pode torná-lo ainda mais lido? E se pensarmos nele todo? O que pode ser melhorado? Por onde começar? Não se desespere, podemos seguir algumas dicas.

 

  1. Menos é mais

Tente fazer com que o assunto do seu e-mail seja breve, afinal, no mundo virtual tudo é muito rápido e se você conseguir despertar a curiosidade de alguém em apenas uma passada de olho já existem maiores chances de que essa pessoa leia o restante do conteúdo. Mostre para o leitor que aquele e-mail é único e terá utilidade para ele.

O corpo do e-mail marketing também não deve ser tão extenso, é melhor não encher linguiça e buscar explicar todo o necessário de forma sucinta e criativa, de acordo com a linguagem de cada empresa.

 

  1. Não compre listas de e-mail

O investimento não vale a pena. Ninguém gosta de receber um e-mail que não tenha nada a ver consigo mesmo, busque outras formas de conseguir contatos, como pedindo para que se inscrevam em seu site ou buscando pessoas que você já sabe que possuem curiosidade por seu conteúdo. Sendo assim, essas pessoas demonstrarão interesse previamente e não se sentirão importunadas.

 

  1. Utilize imagens

Estamos na era das imagens, fotos e ilustrações são sempre bem vindas e tornam o conteúdo mais atrativo. Mas não se esqueçam que elas devem casar com o texto, se for para colocar qualquer imagem apenas por colocar é melhor deixar sem nenhuma.

 

  1. Personalize suas mensagens

Conheça seu público, seja pessoal com quem você contata, se possível cite o seu nome e o dela, mostre que não é uma empresa ou máquina que está falando e sim outra pessoa. Adapte também o conteúdo das mensagens para mobiles, hoje em dia quase 40% das pessoas abrem e-mails nos aparelhos móveis e esse número tende a crescer cada vez mais.

 

  1. Mostre que você se importa com o seu leitor

Seja sempre educado, gentil e confiável. Dê satisfações sobre porque a pessoa está recebendo seu email, se foi porque se inscreveu em seu site ou devido a observação dos interesses em comuns dela, indicações, etc. Não fale apenas sobre você, mostre o que você pode oferecer para o seu leitor.

 

  1. Mostre acessibilidade

Deixe seus contatos no fim do e-mail e se possível direcione o leitor para o conteúdo de seu site entre os textos, pois há maior probabilidade dele clicar para saber mais de um assunto que ele já esteja lendo do que clicar apenas no final, após já ter terminado a leitura.

Muitos cliques pra você, se tiver alguma dúvida pode contar com a gente!

 

Raphael Valongo

Diretor Executivo

Casa Interativa

Por que ter um site responsivo?

Afinal o que é um site responsivo?

Site ou layout responsivo, é quando o site automaticamente se adapta no dispositivo do usuário, podendo ser um PC, smartphone, tablet, dentre outros

Um site responsivo muda a sua aparência e disposição com base no tamanho da tela em que o site é exibido. Então, se o usuário tem uma tela pequena, os elementos se reorganizam para lhe mostrar as coisas principais em primeiro lugar.

As vantagens de se ter um site responsivo são:

– Não prejudica sua identidade visual;

– Aumenta a visualização da sua marca;

– Facilita a busca do seu público pelo seu serviço ou produto;

– Facilidade na gestão;

– Melhora o posicionamento nas buscas;

– Sites Responsivos são mais eficazes;

– Compatibilidade com todos navegadores.

Além disso o Google desde abril de 2015 passou a “esconder” sites não responsivos, que não se adaptam a navegação em Smartphones e tablets.

Agora se o site é amigável a dispositivos móveis, ele poderá ser ranqueado entre os primeiros resultados da pesquisa.

Com mais de 52 milhões de brasileiros acessando a internet via smartphones é imprescindível adaptar o site de sua empresa.

 

Rodrigo Fleury

Desenvolvedor Sênior

Casa Interativa

Você já ouviu falar do Google AdWords?

O Adwords é um serviço do Google, também conhecido como Link Patrocinado, em que o anunciante paga somente quando seu anúncio recebe um clique.

No começo, a ferramenta era um pouco mais complexa, hoje, com 15 anos de existência, o layout está mais intuitivo – material design – e a ferramenta disponibiliza mais ações; é possível fazer remarketing, anúncios patrocinados de pesquisa, display, vídeo, mobile…

Apesar de ser uma ferramenta simples, a simplicidade excessiva pode se tornar um problema para aqueles que não compreendem a mecânica dos links patrocinados. Muitas empresas acham que é fácil e não vislumbram valor em contratar uma agência especializada, mas há inúmeros casos de lojistas que decidiram gerenciar as campanhas por conta própria e acabaram perdendo (muito) dinheiro sem obter os resultados que almejavam.

O segredo é ter metas bem definidas associadas a um planejamento estratégico. Imagine um consumidor que deseja buscar um produto/serviço que você fabrica/comercializa. Este mesmo produto tem várias outras marcas que o fabricam, que são seus concorrentes. Talvez você tenha acabado de abrir a empresa, ou deseja faturar mais, não importa o seu objetivo o Adwords irá atendê-lo. O consumidor continua buscando seu produto no Google e você pode colocar seu anúncio acima de todos os seus concorrentes de maneira estratégica, este é o Google Adwords.

O objetivo de nós, analistas, é maximizar e potencializar os resultados das campanhas. Para isso, temos contato direto com a equipe do Google, recebemos treinamentos frequentes e além do domínio da ferramenta, o mais importante, possuímos o entendimento do mercado.

Aqui vão algumas dicas importantes que utilizamos para alcançar o melhor ROI:

Foco na campanha – Segmentação é a palavra-chave. Não dá para atingir todo mundo, você precisa saber quem procura seu produto e conversar com esse público.

Não misture Rede de Pesquisa com Rede de Display na mesma campanha – A Rede de Pesquisa são os anúncios de texto (Aqueles da página do Google) e a Rede de Display são os anúncios gráficos em sites parceiros. O comportamento das pessoas, assim como suas intenções, são diferentes. O mais recomendado é fazer uma campanha separada para cada tipo de rede, com orçamentos e anúncios adequados ao que você deseja atingir.

Filtre as palavras-chave: O Google AdWords tem uma ferramenta de sugestões de palavras-chave, não aceite todas! Algumas podem te dar ideias de palavra-chave negativa ou até mesmo criar um novo grupo de anúncio, mas a grande maioria é irrelevante.

Otimize seus sites – A qualidade das páginas tem um peso muito maior do que o valor do clique. A posição em que seu anúncio aparece é resultado do seguinte cálculo: qualidade da página x valor do clique. Então se o seu concorrente tem uma qualidade de página melhor do que você, ele pagará menos pela mesma posição.

É importante ressaltar que a escolha das palavras-chave é crucial para uma campanha bem estruturada e otimizada. Com um bom planejamento estratégico os lucros com o AdWords são melhores do que se imagina.

Boa campanha pra você, qualquer dúvida, conte com a gente!

 

Raphael Valongo

Diretor Executivo

Casa Interativa

Vamos esperar mais um pouco!!!

Com essa frase muitos empresários tem gerido seus negócios nos últimos meses. Postergando, adiando, segurando decisões, tudo pela desconfiança instalada pela crise.

E isso é legal? De forma alguma.

E nós vamos lhe mostrar o porque.

Entenda cada decisão e cada atitude como um passo, passos que damos na corrida rumo ao consumidor. Se você fica esperando, o que acontece? Seu concorrente chega primeiro e leva.

Mas é preciso pesquisar, antes de decidir. Sim, pesquisar, não postergar. Se você tem um comparativo entre duas empresas que prestam o mesmo serviço ou possuem o “mesmo” produto: decida, escolha, mova-se.

Vamos dar um exemplo prático:

Duas empresas, uma de São Paulo e outra de Vitória, uma do setor privado e outra do terceiro setor. Ambas com excelentes projetos na mão para serem executados. O que aconteceu? Elas esperaram, seguraram, adiaram tanto que, quando decidiram executar seus projetos era tarde demais, já não dava mais tempo. Uma perdeu espaço, perdeu visibilidade na mente do cliente, a outra (do terceiro setor) deixou de entregar o que se propõe como entidade.

Para de drama Raphael!!! Paro, paro com o drama, paro com as ações, você para de vender, paramos de faturar… Isso sim é uma crise, quando as coisas param.

O que eu espero é que você entenda que é necessário mover, caminhar e não parar, porque aquele que para, fica, e quem fica não recebe cliente, não fatura.

Raphael Valongo

Diretor Executivo

Casa Interativa