Native advertising: conheça mais sobre o conteúdo impulsionado

Com o crescimento das mídias sociais e novas estratégias para chamar atenção, nasceu o Native Advertising, traduzido como publicidade nativa, anúncios nativos ou anúncios sociais.

O termo traz um novo significado de publicar artigos, postagens, histórias e derivados, pagas e identificadas como publicidade, no meio do conteúdo de um site ou rede social. É publicado como se fosse mais uma postagem, só que identificada por uma palavra ou símbolo como conteúdo impulsionado ou promovido.

A grande maioria das mídias sociais já participam dessa estratégia. Cada um com seus formatos e políticas internas, mas todos com o mesmo intuito de mostrar o seu conteúdo à outras pessoas que não te seguem, apesar de serem seu público-alvo.

É fácil ignorar aqueles anúncios feitos na barra lateral do Facebook. Mas, ao se deparar com uma postagem impulsionada entre as publicações dos seus amigos, qual a chance de você deixar passar?

Com uma imagem bonita, bem-feita, que chame atenção, a maioria das pessoas irão, pelo menos, ler.

 

Como fazer uma boa publicidade nativa

 

  1. O primeiro passo é selecionar qual conteúdo irá ser impulsionado. Se pergunte: por que ele irá chamar atenção do seu público? Qual a relevância para aquelas pessoas?
  2. Depois, selecione bem o seu público-alvo. Idade, país, estado, cidade (se o seu negócio é local, por exemplo, é de extrema importância definir a cidade), sexo, interesses… Enfim, trace exatamente com quem você quer falar, para que as chances de cliques e engajamento sejam altas.
  3. Monte o layout de forma a chamar atenção. Isso não significa, necessariamente, colocar um colocar um monte de cores, gifs ou enfeites. Entenda o que atrai a sua persona. É um design minimalista? São as cores? Vídeo?
  4. Por falar emvídeo, em algumas mídias como o Facebook, ele tem maior alcance, independentemente do patrocínio. É de interesse pessoal da plataforma trazer esse conteúdo, para concorrer com o YouTube.
  5. Na hora de escrever o texto, tenha certeza de que está com a grafia correta e que está fácil de ler. ‘Ninguem goxta de ler um negoço asim.’ Traz uma imagem de desleixo e falta de profissionalismo para a sua empresa.

 

Native Advertising x Marketing de conteúdo

Diferente do Native Advertising, o Marketing de Conteúdo atrai o cliente de forma orgânica e natural. De certa forma, um complementa o outro, uma vez que as plataformas estão cada vez menos entregando os conteúdos gerados de forma orgânica para quem curte ou segue as páginas das empresas.

É necessário manter ambos para um bom resultado. De nada adianta promover um anúncio incrível e, ao chegar na sua página, não ter nada além daquele conteúdo impulsionado.

Com uma boa comunicação e as estratégias certas, o seu negócio vai muito mais longe!

 

Giovanna Dieguez

Estagiária de mídias sociais.

Porque investir em redes sociais?

Para começar, vou apontar alguns números que vão te ajudar a entender qual a importância  das redes sociais:

  • Facebook = 2 bilhões
  • Instagram = 700 milhões
  • Twitter = 328 milhões
  • LinkedIn = 106 milhões

Esse é o número de usuário em cada uma destas redes sociais. Agora você entende que esse mercado é uma das chaves do sucesso para desenvolver seu negócio?

Redes sociais são ferramentas estratégicas de comunicação e é uma necessidade para as empresas que querem competir e fazer a diferença perante a concorrência. Além de ser uma ótima maneira de divulgar a marca e de se aproximar dos clientes, com um custo otimizado.

 

Então, agora você está pronto para ouvir nossas 7 razões para você investir em redes sociais?

  1. Reconhecimento da marca – Com uma boa estratégia de social media e conteúdo rico, a empresa pode aumentar a valor da marca. E, se isso vier alinhado ao site da empresa, com certeza, vai elevar sua visibilidade.
  1. Ganhe tempo no processo de atendimento, venda e pós venda – Cada vez mais, os consumidores deixam de usar o celular ou o e-mail e se comunicam por meio das redes sociais, sabendo que a resposta será mais rápida. Assim, sua empresa pode oferecer um serviço ágil e eficaz.
  1. Crie vínculos mais fortes com seus clientes – Ofereça conteúdo diversificado para seus clientes e amplie o engajamento do seu público, pode parecer uma ação simples, mas isso vai gerar fidelização dos clientes.
  1. Retorno sob baixo investimento – Claro que você vai precisar impulsionar alguns conteúdos, mas os investimentos nas redes sociais possuem maior retorno, com menor investimento e os resultados já se evidenciam de modo geral entre 3 e 6 meses.
  1. Influenciar positivamente a compra do consumidor – As últimas pesquisas mostram que internet influencia cada vez na decisão da compra de produto ou serviço. A imagem da sua marca nas redes sociais tem então um papel importante parar ampliar as vendas, além de ser um canal de contato direto com o seu consumidor.
  1. Valor agregado ao produto e alcance de maior público – Estar na rede permite que seu produto ou serviço seja visto, avaliado, compartilhado, reconhecido e adquirido por um número maior de pessoas, valorizando as vendas na internet. As redes sociais também criam uma categoria de propagadores da marca, um grupo fiel de pessoas engajadas que compartilham seus conteúdos.
  1. Você não precisa estar em todas as redes sociais – Muitas empresas evitam entrar na web, pois acreditam que precisar criar páginas em todas as redes sociais. Isso não é verdade! Avalie onde seu cliente está e esteja lá também. Sendo assim, faça escolhas estratégicas para seu negócio.

 

Mathilde Roffi

Estagiária de atendimento

Entenda os princípios básicos para uma boa prática de SEO

Por todos os cantos da internet vemos dicas de como realizar a otimização de sites através de metodologias de SEO. Hoje esta ação é descrita como uma receita de bolo, onde alguns pensam que o simples fato de seguir o passo-a- passo vai fazer com que os resultados esperados sejam alcançados.

Mas, para conseguir obter sucesso com as práticas do SEO devemos voltar nossa atenção para os seus princípios básicos.

1. É preciso ser relevante: O primeiro passo para uma boa otimização do seu site está no conteúdo. Os algoritmos utilizados pelo Google para o ranqueamento da busca orgânica possuem a capacidade de “ler” o conteúdo do seu site e verificar se ele faz parte do contexto da pesquisa realizada. Esta leitura é feita a partir das palavras-chave utilizadas. Para fazer esta leitura o Google verifica se o termo pesquisado remete a sua página em áreas específicas:

  • Título (Page Title) –É o texto que aparece na aba do navegador, este é um dos elementos mais importantes para o Google.
  • Cabeçalhos (Headings) – São os subtítulos da página e suas hierarquias. As marcações vão do H1 (mais importante) ao H6 e promovem uma marca no código da página favorecendo a busca da palavra-chave.
  • Textos – É o conteúdo em si, o Google busca citações da palavra chave e sinônimos ao longo do conteúdo.
  • URL – É o endereço na web que remete a sua página, ou seja, o link.
  • Atributo Alt – É o texto que aparece para identificar a imagem, principalmente quando a mesma não é exibida, este texto ajuda o Google a entender o que está na imagem.

2. Autoridade do autor: quando falamos sobre conteúdo, falamos de relevância. Uma das maneiras utilizadas pelo Google para mensurar a relevância do seu conteúdo é através dos links externos, ou seja, é a indicação da sua página por outros sites.

Nesta relação é que uma estratégia de co-marketing contribui para o posicionamento do seu site. As pequenas empresas podem investir em parcerias e alianças para compartilhar conteúdo de terceiros e ter seu conteúdo compartilhado no site deles.

3. Planejamento das palavras-chave: A leitura de conteúdo é feita a partir de palavras e termos utilizados pelos usuários para realizar as buscas no Google. É importante definir as palavras e termos chaves para o seu site, mas este não é um processo aleatório. Ao planejar a sua comunicação é preciso considerar o seu público e entender o tipo de conteúdo ele procura.

Algumas ferramentas como Google Trends, Google Analytics e outros podem ajudar a verificar os resultados de busca e na avaliação e definição dos melhores termos para a sua página.

4. Fique atento a programação do site: o Google vem evoluindo e atualizando constantemente os algoritmos de ranqueamento e neste aspecto ele não dispensa a experiência de navegação do usuário. Por este motivo as boas práticas de usabilidade e arquitetura da informação contam muito.

A verdade é que muitas técnicas são aplicadas para melhoria do posicionamento e constantemente o próprio Google busca melhorar seus algoritmos com a intenção de fazer com que os resultados de sua busca sejam de fato relevantes. Para tal busque utilizar a metodologia amplamente divulgada, mas não esqueça que o foco ainda é o conteúdo que será entregue, um bom conteúdo será compartilhado pelos visitantes de seu site e contribuirá para a sua otimização.

Raphael Valongo

Diretor Executivo

Casa Interativa