Passo a passo para criar seu cronograma anual de conteúdo

Temos uma quantidade absurda de conteúdos sendo produzidos e consumidos diariamente, isso é um desafio para as empresas que querem se destacar, afinal, como competir com tanto conteúdo?

Ter um bom conteúdo é fundamental, mas antes dele, existe uma etapa essencial, que muitas empresas e departamentos de marketing não dão devida atenção e valor: o planejamento de conteúdo.

Isso mesmo!  Pensar no que será produzido durante o ano é importante para antecipar tendências, produzir conteúdos de qualidade e chegar à frente no mercado.

A minha sugestão é montar um cronograma de conteúdo. E, esse é o momento ideal, afinal, o planejamento para o próximo ano já precisa estar em, pelo menos, produção.

 

Como criar um cronograma anual de conteúdo?

Para funcionar bem, seu cronograma precisa ter mais do que datas e temas a serem abordados. Comece organizando as ações para evitar incluir peças que não façam sentido para os objetivos estratégicos da comunicação.

Bom, com o seu plano de ações em mãos, vamos começar:

Estabeleça um calendário – Você pode fazer isso em uma planilha, levante todas as datas importantes e ações da empresa e inclua em um calendário. Para segmentos com períodos sazonais, isto deve ser considerado, assim como as campanhas a serem desempenhadas pela área comercial.

Defina seu público-alvo e os estágios de compra – Deixe claro com quem a marca vai conversar e quais conteúdos podem oferecer para as etapas do funil de leads.

Defina as metas – Se você não saber aonde chegar, como saber para onde caminhar? Alinhe suas metas, com o planejamento estratégico da empresa. Por exemplo, aumentar a base de cliente em 18% até novembro de 2018. Mas, lembre-se, seja realista!

Defina os formatos de conteúdo – As opções são várias, artigos para blog, e-books, posts para redes sociais, ferramentas, vídeos, entre outros. Defina quais os formatos são os mais estratégicos para trabalhar o conteúdo e eles trazerem mais resultados.

Acompanhe a produção – Se o seu conteúdo precisa ser publicado em dezembro, ele não pode ser produzido uma semana antes. Com o calendário bem estruturado, a produção pode – e deve – ser  antecipada, para poder ser realizado os ajustes necessários e ser trabalhado com tempo hábil.

Avaliação dos resultados – Seu cronograma deve apontar também a observação das métricas e elaboração de relatórios, para que os passos sejam alinhados, para alcançar os objetivos da empresa. Avalie se a estratégia de conteúdo faz sentidos para equipe e clientes? O uso de palavras-chave está correto? A linguagem condiz com as personas e marca? Como estão as taxas de conversão? Como otimizar seus resultados?

Use as ferramentas corretas –Não vou te indicar uma ferramenta específica, afinal cada empresa tem uma necessidade específica, mas para você que quer ir além das planilhas, existem ferramentas no mercado que auxiliam na montagem e visualização do cronograma de conteúdos.

Ajuste e reajuste – O cronograma não é estático, por meio dos resultados levantados, faça os ajustes que forem necessários. O mercado muda, as ações podem sofrer alterações… Enfim, o cronograma é um norte para tornar seu planejamento de conteúdo mais assertivo. Mas ainda sim, fique sempre atento ao mercado, as tendências e a qualquer fato relevante, que necessite uma posição por parte da sua empresa ou que seja uma oportunidade.

 

Montar o cronograma dos seus conteúdos pode, a princípio, dar um pouco de trabalho, mas a praticidade e os resultados que ele vai trazer vai compensar todo o seu esforço!

 

Marcela Fabiana

Gestora de Conta

Tipo de conteúdo ideal para cada etapa do funil

Já falamos inúmeras vezes, e sempre reforçamos, que o marketing de conteúdo é sim um diferencial para toda empresa que quer ter um melhor posicionamento de sua marca. Isso porque compartilhar conhecimento, gera um bom relacionamento entre empresa e públicos.

Por meio do uso de bom conteúdo, é possível atrair pessoas, convertê-las em leads, qualifica-las e, então, vender seu serviço ou produto para elas.

Mas, para que esse objetivo seja concluído com sucesso, é preciso pensar, estrategicamente, em conteúdos específicos, para cada etapa do funil em que o lead está, para que ela possa evoluir dentro da sua jornada.

É necessário personalizar conteúdos é fundamental, pois em cada etapa, a pessoa tem uma demanda diferente de informação.

Sendo assim, como definir qual é o conteúdo ideal para cada etapa do funil?

 

Topo de funil – Suspects

Também conhecido como entrada de funil e é a parte mais larga do funil. Isso porque é a fase de descoberta da marca.

Para essa etapa do funil é recomendado conteúdos mais básicos e abrangentes. Isso para proporcionar que as pessoas despertem a consciência, descoberta do problema ou mesmo a curiosidade.

Ofereça conteúdos com solução de problemas, ajude a criar uma base de conhecimento, mostre novidades do mercado, dê dicas, explique assuntos relacionados ao problema, apresente conceitos, enfim, o foco é disseminar a informação.

Neste estágio da jornada o lead se utiliza de ferramentas de busca, por isso o ideal para esta etapa são os artigos para blogs, compartilhamento em redes sociais ou, até mesmo infográficos.

 

Meio de funil – Prospects e leads

Aqui, as pessoas já estabeleceram certa confiança com sua marca, então forneça conteúdos para que elas se tornem prospects ou leads.

Para isso, entregue conteúdos mais personalizados, para que vocês tenham mais proximidade.

Aposte em e-mails personalizados, conteúdos com maior frequência, aqui a automação de marketing e segmentação são bem-vindas.

Os conteúdos precisam ser elaborados de forma mais específica, explique como fazer uma determinada etapa do serviço, vantagens e desvantagens de usar certas ferramentas ou metodologias, guias e demais conteúdos que entreguem a proposta do seu serviço ou produto.

Aqui, o foco do conteúdo é ser educativo, útil e que aprofunde conceitos e conhecimentos. O importante aqui é ter um conteúdo instrutivo. Neste sentido os e-books, webinars e páginas em seu site, podem ser utilizados.

 

Fundo de funil – Oportunidades

Se o seu lead chegou até aqui, ele está qualificado e atende as características da sua persona. Nessa etapa do funil, o lead já tem um conhecimento aprofundado sobre seu problema, soluções e os resultados que ele pode ter.

Neste momento a abordagem do conteúdo, está focada na diferenciação da sua solução, com as demais disponíveis no mercado. Sendo assim, aposte em relatos de clientes, como os Casos de Sucesso, pesquisa de mercado, gráficos comparativos e nas páginas de solução ou produtos do seu site.

Essa é a oportunidade ideal de proporcionar um contato direto com as suas soluções, que tal oferecer ferramentas, métricas, casos de sucesso… Ah, e não se esqueça de inserir um call-to-action de “Fale com um consultor” ou “Faça um teste free”.

Abras as portas para a conversão desses leads, para que ele possa ser abordado pela equipe de vendas e se torne um cliente.

 

Agora que você conquistou clientes valiosos, não se esqueça de criar estratégias para a manutenção desse relacionamento, afinal, de nada vai adiantar tanta dedicação, para esquecer e deixá-lo ir embora.

Crie novas jornadas de compra, para uma solução complementar… As opções são muitas, mas podemos falar sobre isso em outro artigo.

Com essas dicas, os conteúdos para seu funil de vendas será planejado de uma maneira assertiva e potencializar seus resultados.

 

Rayanne Alves

Supervisora de Criação

Por que manter a criatividade das crianças é importante no marketing?

Certa vez li a seguinte frase: “um adulto criativo é uma criança que sobreviveu”. Fiquei pensando sobre isso, e comecei a observar meu irmão de 5 anos. Ele inventa brincadeiras, histórias, questionamentos que nem passariam pela minha cabeça. Por quê?

As crianças são capazes de inventar mundos extraordinários, são verdadeiros poços de criatividade. Quando crescem, na grande maioria das vezes, perdem esse “feeling”, sua essência.

Quando somos pequenos, não temos medo de nada! E aí está o grande segredo.

Crescemos, descobrimos que não podemos enfiar o dedo na tomada porque tomamos choque, que não podemos sair na chuva porque ficamos gripados, que temos que ter os pés no chão se quisermos ser alguém.

O nosso senso de autopreservação é tão grande, que temos medo de expor nossas ideias e sermos ridicularizados, que nos mantemos em uma área confortável.

Sair daquele cantinho seria o mesmo que sentir dor. Mas, se você deseja ser criativo, não deve ter medo de gritar suas ideias!

Imagine se todos os músicos, comunicadores, publicitários, artistas e pintores tivessem medo. Não teríamos as criações que, hoje em dia, achamos perfeitas e admiramos.

E, aliás, qual o sentido da perfeição?

O que pode ser incrível para mim, pode não ser para você, e vice-versa!

As crianças nem mesmo lutam contra o ridículo. Elas simplesmente o ignoram. Enquanto você ri porque ela acredita em Papai Noel, ela irá rir com você e ainda vai falar que você não vai ganhar presente no natal.

Os pequenos acreditam em duendes, fadas e sereias, nós acreditamos em um simples pedaço de papel.

Almejamos tudo o que nos prometeram que conseguiríamos com ele – casas na praia, carros, celulares de última geração, iates, viagens de luxo… Quem verdadeiramente é o inocente nessa história?

Deixo aqui de lição para todos: sejamos mais crianças!

Que não tenhamos medo de expor nossas ideais, opiniões, desejos. Pergunte, questione, seja curioso! E, nesse 12 de outubro, observe uma criança dentro de você e aprenda com ela, ao invés de ensiná-la!

Se solte… Crie!

 

Giovanna Dieguez

Estagiária de Social Media