O lado obscuro do Marketing de Conteúdo

“Criar conteúdo incrível.” “Entregar valor”. “Surpreender seus usuários.” “Dominar a arte de contar histórias.” “Os usuários vão encontrar o conteúdo on-line?” “Construir relacionamentos com clientes em primeiro lugar, eles vão comprar quando precisarem.”

 

Todos nós já ouvimos isso e tudo parece correto.

 

Muitas vezes ouvimos “As marcas precisam agir como editores”. Algumas empresas acreditam em contratar jornalistas para trabalhar em tempo integral para construir “conteúdo jornalístico-padrão.” Seth Godin, uma das melhores mentes do nosso tempo de marketing, disse que “marketing de conteúdo é marketing de esquerda.” Isso é agressivo.

Mas, existem alguns problemas ocultos nisso. Primeiro, o custo para tornar o conteúdo impressionante, em uma base contínua, e o custo para promover esse conteúdo, pode ser extremamente caro para muitas empresas. Em segundo lugar, o ROI de conteúdo pode não validar o custo.

Se você está considerando o lançamento de iniciativas de marketing de conteúdo, se faça essas quatro perguntas:

  1. Com que frequência você vai publicar conteúdo?
  2. Quem irá criar esse conteúdo impressionante?
  3. Como é que vai ser promovido o seu conteúdo?
  4. Como você vai medir o ROI?

 

É fundamental conhecer a estrada a ser trilhada.

Marketing de conteúdo pode ser muito caro e difícil de mensurar retornos. Mas, isso não significa que o marketing de conteúdo não funcione.

Grandes empresas usam, brilhantemente, o conteúdo útil e fascinante para alcançar seu público-alvo e geram resultados surpreendentes. Mas você precisa ser prático. Tem que saber onde está se metendo. Deve saber o investimento por trás da grandeza.

(Artigo traduzido: The Dark Side of Content Marketing)

 

Raphael Valongo

Diretor Executivo

Casa Interativa

Como se destacar com publicidade?

O papel da publicidade sempre foi de despertar o interesse, informar, conquistar e converter pessoas em clientes, leads desconhecidos em qualificados e aptos a comprar.

Atualmente com tantas conexões nas redes sociais, somos o tempo todo bombardeados por informação, dicas, sugestões e críticas sobre produtos e serviços.  Manter a publicidade neste papel antigo de gerar interesse custa muito caro.

O que fazer? Mudar a estratégia do marketing? Trabalhar o Inbound?  Mas se todos estiverem fazendo Inbound? Se todos estiverem dando ingresso para o mesmo evento? Como se destacar?

Precisamos nos destacar, é claro, seja pelo preço, atendimento, agilidade ou qualidade, algo seu precisa ser mais seu do que do seu concorrente.

São tantas ferramentas do marketing, publicidade, comunicação e eventos que não dão para usar ou sequer conhecer todas. Esse avanço se tornou rápido demais, até mesmo para as empresas mais inovadoras acompanharem.

Segmentar e especializar é a solução.

Em que sua empresa é boa? Em que sua agência é boa?

Uma resposta difícil, principalmente em um mercado pouco regulamentado e menos ético ainda.

Mas existe uma saída, se chama transparência, alinhamento de expectativas e necessidades.

O que queremos? O que podemos? O que faremos? O que não faremos? Quando faremos? Quanto tempo e dinheiro temos?

Quando cliente e agência estão intimamente alinhados, não importa se será Inbound com a house, site com uma empresa de software ou brand com o sobrinho.

O que falta entre agência e cliente é transparência e consciência das escolhas. Quer pagar barato? Pode pagar. Quer não fazer? Deixe de lado. Mas comprar X pagando Y, ou querer muito pagando pouco, querer qualidade sem dar tempo para o aprimoramento, é displicência de ambas as partes.

 

Raphael Valongo

Diretor Executivo

Casa Interativa

Google Adwords – conceitos básicos para campanhas de sucesso

Como funciona?

Em poucas palavras, é o serviço de publicidade do Google. Com ele você pode criar e divulgar anúncios tanto na rede de pesquisas do Google – o famoso buscador – quanto na rede de displays do Google, ou seja, nos sites afiliados.

Esses anúncios são exibidos na parte superior da página de resultados de busca e também na lateral direita, em destaque, convidando o usuário a clicar.

Já na rede de displays, os anúncios aparecem em locais predeterminados pelo próprio site parceiro.

Além disso, eles também são exibidos tanto em desktops e notebook quanto em smartphones e tablets, ou seja, permitem que você desenvolva uma estratégia de divulgação integrada e afinada com os costumes do seu público-alvo.

 

Tipos de anúncios Adwords

Rede de Pesquisa – Os anúncios aparecem de acordo com a pesquisa realizada pelo usuário, diretamente no site do Google ou no dos parceiros. Eles são exibidos no contexto da palavra-chave pesquisada

Rede de Display – Exibição na rede de parceiros do Google. A principal vantagem é que aqui você tem espaço para exibir imagens dos seus produtos e serviços como eles realmente são, por meio de anúncios estáticos ou animados.

Google Shopping e Merchant – as lojas enviam uma lista de produtos para o Google Shopping e, por meio do Merchant, é possível impulsionar esses produtos para que eles apareçam com maior destaque na rede de pesquisa do Google.

Remarketing – seus produtos serão anunciados constantemente para os visitantes que já estiveram em seu e-commerce, mas que deixaram seu site sem efetuar compra alguma.

 

Trecho do trabalho apresentado por

Bruno Dourado

Aluno Imageria Criativa do curso de Marketing Digital